saúde

Estudantes da rede estadual se tornam multiplicadores no combate ao novo coronavírus

Uma parceria entre as secretarias estaduais da Educação (SEC) e da Saúde (Sesab) está promovendo palestras e rodas de conversas sobre o novo coronavírus nas escolas da rede estadual, transformando a comunidade escolar em aliada no combate à doença. Na manhã desta terça-feira (10), alunos do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental do Colégio Estadual Pinto de Aguiar, em Mussurunga, na capital, participaram da ação em uma roda de conversa, que tirou dúvidas e reforçou a importância da prevenção.

“As escolas já são estimuladas a trabalhar a questão da saúde de forma articulada com o currículo. A questão do novo coronavírus e todo esse cenário epidemiológico mundial é uma oportunidade de trabalhar os aspectos preventivos. Diferentes componentes curriculares são estimulados para fazer com que os alunos pesquisem, se empoderem e adquiram conhecimentos, principalmente, que elevem aspectos preventivos. A gente faz esse convite para que todas as escolas façam essa reflexão junto com sua comunidade e isso extrapole os muros da escola, e possa chegar até as famílias numa ação efetiva de enfrentamento ao vírus”, explicou o coordenador de educação ambiental e saúde da SEC, Fábio Barbosa.

A coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (CIEVS-BA) da Sesab, Patrícia França, conduziu a roda de conversa e destacou a importância do esforço de cada um no controle do COVID 19. “Para a sociedade como um todo, o importante é a prevenção e a consciência das ações individuais para evitar que esse vírus se dissemine, uma vez que ele já chegou ao nosso estado. Temos que ter essa consciência mesmo da lavagem das mãos e da etiqueta respiratória”, declarou Patrícia.

A diretora do colégio, Ana Paula Ramos, contou que as orientações sobre o combate ao vírus vêm sendo trabalhadas de forma multidisciplinar, associando os aspectos referentes ao assunto de acordo com a disciplina, e os alunos são estimulados a lavar mais vezes as mãos com água e sabão e a usar álcool gel, disponibilizados em recipientes nos corredores e espaços escolares. “Também incentivamos que os alunos não compartilhem seus objetos, merenda, e copos, e façam uso da garrafinha individual”.

“Aprendi a me prevenir melhor, como lavar as mãos, o uso do álcool gel e a como espirrar do modo certo”, contou a estudante do 9º ano, Noemi Santana, de 13 anos, que participou do bate-papo e está procurando repetir essas ações, tanto na escola, quanto em casa e na rua. “Como na rua não tem lugar para lavar a mão, a gente usa o álcool gel”, completou.

O assunto vem despertando também a criatividade dos alunos. Durante a roda de conversas, o também aluno do 9º ano, Marcos Nitael, 14 anos, aproveitou a oportunidade para apresentar um poema que ele fez sobre o novo coronavírus. “Vamos dizer que eu fiz mais para alertar as pessoas, porque tem gente que fala ‘estava lá na Ásia, não vai afetar o Brasil’, mas pode afetar todo o país. É isso que eu quero dizer com meu poema”, afirmou o adolescente.
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: