Sem categoria

Vereadores eleitos pelo PTB em Salvador sinalizam saída do partido

Após as eleições em Salvador, os vereadores eleitos pelo PTB estão à procura de outros partidos para se filiarem. Antes do pleito, o presidente nacional do partido, Roberto Jefferson, criou uma crise institucional e dissolveu o diretório estadual da sigla, no intuito de cancelar o apoio acordado para Bruno Reis (DEM), posteriormente eleito prefeito de Salvador (leia mais aqui). 

 

Presidente municipal do PTB na capital baiana, e reeleito para vereador, Carlos Muniz afirmou ter sido perseguido pela executiva nacional da legenda. “Meu pensamento é deixar o PTB. Eu preciso da autorização do TRE [Tribunal Regional Eleitoral da Bahia]. Fui perseguido pelo partido. Tenho gravações em que o presidente nacional diz que não tem interesse nenhum nos vereadores aqui em Salvador. Mas não é meu querer que vai dizer. Comprovação que fui perseguido tenho. Agora, preciso que o TRE autorize”, criticou, em entrevista ao Bahia Notícias. Ele já havia indicado a possibilidade em setembro (leia mais aqui).

 

Recém-eleito para seu primeiro mandato, Dr. José Antônio foi mais ameno no tom, mas também indicou que aguarda apenas a liberação do Tribunal para ser liberado. “É precoce dizer para qual partido iremos. Até mesmo porque nós, mantendo o apoio ao prefeito eleito, não teremos condições de ficar no PTB, uma vez que seu presidente nacional determina, com a força que tem, que nós não poderíamos nos manter nesse partido. Então, oportunamente, sendo liberado pela Justiça Eleitoral, nós buscaremos uma outra sigla que esteja compondo o núcleo de apoio ao prefeito Bruno Reis”, previu.

 

A saída do PTB também foi sinalizada por Benito Gama, presidente estadual do partido. Ele está na mesma situação de Muniz e Dr. José Antônio (leia mais aqui).

 

EMBATE DENTRO DO PTB
A perseguição de Roberto Jefferson à qual Muniz se refere aconteceu antes das eleições municipais. Em entrevista numa rádio, o ex-deputado chegou a dizer que “o PTB em Salvador não é PTB”. “É um apêndice de Netinho da vovó, criado de vó, o ACM Neto. Não existe. O PTB em Salvador e na Bahia não existe. E nem fizemos questão que o PTB dispute candidatura com vereador ou vereadora, porque ninguém é do PTB. É um quadro todo infiltrado”, disparou.

 

Ele ainda atacou Benito Gama e o classificou como “capacho de Neto”. “Não colocou ninguém no PTB comindependência, tradição e da ala bolsonarista. O PTB em Salvador é tanto do Netinho como do Rui Costa. É um misto de cobra com jacaré, filhote de cobra com jacaré. Mistura de PT com DEM. Não vale nada”, declarou.

 

Mesmo com as ponderações de Roberto Jefferson, o PTB em Salvador apoiou Bruno Reis na sua alçada ao Palácio Thomé de Souza. 

Fonte:bahia noticias

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: