Salvador

Transalvador testa nova tecnologia para fiscalização de Zona Azul Digital

A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) está testando uma nova tecnologia para auxiliar a fiscalização da Zona Azul Digital. O equipamento, que utiliza câmeras de monitoramento, irá identificar se os veículos estão estacionados de forma regular nos locais onde são disponibilizadas vagas dessa modalidade na cidade. Durante o período de teste, que deve durar três semanas, o equipamento não vai notificar condutores estacionados irregularmente.

De acordo com o superintendente do órgão, Fabrizzio Müller, os benefícios do uso da nova tecnologia vão muito além da fiscalização de estacionamento. A nova tecnologia vai trazer mais segurança ao usuário, uma vez que poderá inibir a atuação dos guardadores clandestinos.

“Guardadores que atuam de maneira clandestina nesses espaços, muitas vezes extorquindo e ameaçando os condutores, não vão se sentir estimulados a estarem nos locais. Isso porque os condutores terão que adquirir a cartela ou comprar crédito nos aplicativos credenciados”, assegura Müller.

Outro benefício para a população é a possibilidade de identificar veículos que estejam com restrição de roubo. “Desta forma, ao serem identificados, a Transalvador poderá acionar imediatamente as autoridades competentes para que sejam tomadas as medidas adequadas”, conta o superintendente.

A tecnologia vai auxiliar o agente de trânsito na fiscalização, evitando, inclusive, qualquer tipo de falha humana na verificação das placas. A princípio, o sistema irá identificar apenas aqueles que compraram créditos por meios digitais, seja com os operadores ou utilizando os apps credenciados pela Transalvador para oferecer o serviço de Zona Azul Digital. As cartelas em papel, nos locais onde ainda houver, continuarão sendo conferidas normalmente pelos agentes, sem nenhuma mudança nesse sentido.

Como funciona – Câmeras de monitoramento instaladas na parte superior da viatura irão identificar aqueles que estão utilizando as vagas de forma irregular, seja porque não adquiriram os créditos para estacionamento ou porque estão com o período vencido. As imagens das placas serão capturadas e enviadas para uma central na Transalvador.

Durante a fase de testes, será utilizado um veículo sem identificação do órgão de trânsito. Neste período, serão avaliadas as funcionalidades do sistema e a precisão das informações que serão passadas para a superintendência. Além dos testes já programados, novos poderão ocorrer até que o sistema esteja funcionado de forma adequada e atendendo totalmente às necessidades do órgão de trânsito.

Fiscalização – Atualmente, os condutores podem estacionar em áreas de Zona Azul utilizando as cartelas físicas, vendidas pelos guardadores credenciados, ou digitais, por meio dos apps credenciados pela Transalvador para oferecer o serviço de Zona Azul Digital na cidade. Na Barra e no Rio Vermelho não há mais cartelas de papel sendo vendidas, pois o sistema já funciona 100% digital, inclusive com os operadores das vagas.

Até o mês de outubro, todas as cartelas físicas devem ser extintas e apenas os créditos digitais terão validade. “Desde que implementamos o sistema digital em Salvador, ficou determinado que em 12 meses não haveria mais a cartela em papel. Portanto, este tipo de fiscalização será mais efetivo para garantir a legitimidade do trabalho dos agentes no momento da autuação”, explica Müller

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: