Cidades

Salvador – Telas do acervo da Câmara vão integrar mostra dos 200 anos da Independência

Casa vai ceder obras para exposição do Museu Afro Brasil e do Ipiranga em São Paulo

 Parte integrante da história da Independência do Brasil, a Câmara Municipal de Salvador vai ceder por empréstimo importantes telas do seu acervo para uma exposição que celebra os 200 anos da libertação de Portugal. “As Independências do Brasil”, organizada pelo Museu Afro Brasil em conjunto com o Museu do Ipiranga, vai ser lançada em setembro, em São Paulo (SP), e ficará em cartaz até janeiro de 2023.

Representando o presidente da Câmara, vereador Geraldo Júnior (MDB), no encontro com o diretor e curador do Museu Afro Brasil, Emanoel Araújo, na manhã desta quarta-feira (6), o diretor-geral da Casa, Adriano Gallo, destacou o valor deste reconhecimento. 

“É importante para divulgar o acervo desse Memorial e a importância que o espaço tem para o Brasil. É também uma forma de a Câmara estar presente nessa celebração dos 200 anos da independência”, pontuou Gallo.

A exposição, segundo o diretor do Museu Afro Brasil, será um diálogo entre os dois museus. “Essa exposição vai mostrar que a independência se consolidou na Bahia”, pontua o escultor baiano Emanoel Araújo, que é natural do município de Santo Amaro e já recebeu da Câmara o Título de Cidadão da Cidade do Salvador.

Telas indicadas

As obras escolhidas foram os retratos de Dom Pedro I, do General Labatut e a Entrada do Exército Pacificador. As telas fazem parte do acervo do Memorial da Câmara Municipal de Salvador e foram indicadas pelo restaurador e professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), José Dirson Argolo, que já trabalhou na restauração e conservação das obras da casa legislativa. O Museu do Ipiranga vai levar também da capital baiana o Caboclo, a Cabocla e as respectivas carruagens. 

“Eu acho muito relevante esta iniciativa da Câmara de manter a preservação. O acervo todo é muito importante, sobretudo a tela de Dom Pedro, que é do século XIX, do artista Bento Rufino Capinam, datada de 1830”, destacou Emanoel Araújo. 

A supervisora do Memorial da Câmara de Salvador, a museóloga Rosângela Esteves, destacou que o processo de empréstimo das obras envolve cuidados desde a retirada do Memorial, no transporte e na instalação. “Será uma mostra muito relevante para a divulgação do acervo, pois são telas com a importância histórica reconhecida”, destacou. 

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: