Polícia

Ronda Escolar inicia palestras para o ano letivo de 2022

Olhos atentos e sorrisos mostraram a integração entre professores e dirigentes do Colégio Estadual Otávio Mangabeira, no Saboeiro, e policiais da Operação Ronda Escolar, que iniciaram, na manhã desta quinta-feira (3), o ciclo de palestras do projeto Ponto e Vírgula. A iniciativa é desenvolvida para estreitar os laços com a comunidade escolar e orientar sobre a atuação em situações de crise dentro deste ambiente.

Vinte professores de turmas do 5º ao 8º ano do ensino fundamental em diferentes disciplinas assistiram à aula conduzida pela equipe da especializada e tiraram dúvidas sobre Estatuto da Criança e do Adolescente, ações preventivas, formas de abordar e tratar crises com o público infantil.

O cabo PM Nei Cleber Nascimento Pereira, orador do encontro, tirou dúvidas do grupo e falou sobre a importância dos docentes na construção e desenvolvimento dos princípios da criança e do adolescente. “A redução da violência passa pela educação e o professor, ao lado de outros agentes, tem papel fundamental na construção da sociedade”, afirmou.

Na última terça (1), a unidade encerrou a Operação Matrícula e realizou 297 visitas com abordagem de 1.364 pessoas nas escolas da capital baiana e arredores. Nenhuma ocorrência foi registrada.

Às vésperas do início do ano letivo nas instituições estaduais, previsto para a próxima segunda-feira (6), a diretora do Colégio Estadual Otávio Mangabeira, Marcia Rego, explicou que a Ronda Escolar realiza visitas diárias à unidade, nos turnos matutino e vespertino, além do projeto Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd).

De acordo com a comandante da unidade, major Maria da Soledade Cardoso Landim Batista, a Ronda trabalha em parceria com a rede de ensino e busca dar apoio e proporcionar um ambiente livre de violência para que as ações educativas ocorram como o planejado. As equipes seguem um cronograma e, diariamente, fazem visitas as escolas e conseguem fazer esse contato com a comunidade escolar, professores, pais, alunos. Os PMs também são convocados para fazer a mediação dos conflitos.

Foto: Vitor Barreto/SSP

“Nossos policiais precisam saber mais para atuar melhor. Nós temos uma constante preocupação em mantê-los capacitados, seja com o curso de Operador de Policiamento Comunitário e Escolar, que este ano terá duas edições, entre outras atividades”, frisou a oficial. No último ano, cerca de 100 PMs foram capacitados, não somente profissionais da Bahia, como de outros estados buscaram o conhecimento para levar às suas unidades.

“Também desenvolvemos alguns projetos. Nosso foco é voltado para a prevenção. A gente tenta fazer com que essa situação de violência não aconteça, fazemos um trabalho intenso de conscientização, para que a situação seja evitada e, caso ocorra, orientamos sobre a melhor forma de intervenção”, contou.

Ao longo do ano letivo, os profissionais da Ronda Escolar realizarão atividades para abordar a violência, depressão, bullying e cyberbullying, dentre outros temas que afetam o público adolescente.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: