Política

Pela primeira vez na história, ALBA não precisou suplementar orçamento

Durante a pandemia que assolou o mundo em 2020 e ainda persiste, o presidente Nelson Leal prosseguiu e radicalizou com as medidas de economia que implantou no Parlamento desde a posse. Conseguiu alcançar resultado ainda mais confortável na gestão financeira. Em 2019, com aplicação de medidas de austeridade, já havia conseguido reduzir histórico do déficit do Legislativo, fechando perto do equilíbrio.

Em 2020, pela primeira vez na história da ALBA conseguiu fechar o ano com um saldo positivo em caixa. Trata-se de um feito inédito a Assembleia não precisar de qualquer suplementação orçamentária do Poder Executivo, feito comemorado por todos os integrantes da Mesa Diretora e pelo conjunto dos deputados estaduais com maior alegria por conta dos problemas econômicos que as medidas sanitárias de distanciamento impuseram ao Estado, reduzindo negócios, receitas e gerando gastos adicionais para a máquina pública.

O deputado Nelson Leal acrescentou que a Assembleia possui um déficit histórico e que a suplementação anual, feita pelo Governo do Estado, é quase imprescindível: “A suplementação é apenas a correção de uma distorção orçamentária. Mas, entendendo a situação econômica da Bahia e do Brasil, por causa da pandemia da Covid-19, utilizamos um ‘torniquete financeiro’ e reduzimos drasticamente as despesas, eliminando tudo que podia ser considerado supérfluo – e ainda protegemos os nossos colaboradores e os parlamentares”, afirmou.

 

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: