São João 2020

Observatório de Economia Criativa lança pesquisa sobre Impactos do Cancelamento de Festejos Juninos na Bahia

O cancelamento dos festejos juninos em 2020, como consequência da pandemia do novo coronavírus, afetou diretamente cerca de 250 municípios baianos, além de centenas de artistas e outros profissionais. O tema repercutiu na mídia tendo em vista a peculiaridade do cancelamento dos festejos tradicionais, só registrado anteriormente no ano de 1961, como consequência de uma grande seca. Ainda assim, nada comparado aos efeitos desta crise sanitária global, o que torna imprescindível o trabalho de produção de dados mais detalhados sobre os impactos econômicos, sociais e culturais da medida.

O lançamento da pesquisa “Impactos da Covid-19 nos Festejos Juninos da Bahia” tem como objetivo mensurar os efeitos da atual crise de saúde pública para os municípios e profissionais promotores de eventos juninos. Dentre os temas pesquisados estão a identificação do perfil dos impactados, atividades afetadas, a escala de grandeza das perdas financeiras, implicações no mercado de trabalho da economia criativa durante os festejos juninos e as estratégias que estão sendo acionadas para enfrentar a situação.

Os resultados da pesquisa poderão contribuir para a tomada de decisão de entes públicos e privados em relação às estratégias futuras. Como ressalta uma das coordenadoras da pesquisa, Lúcia Aquino, “É importante destacar que os festejos juninos representam a primeira ocorrência de cancelamento no calendário de festas populares de grande porte do país, pós medidas de isolamento. Esperamos que a pesquisa possa gerar subsídios para as medidas que deverão ser executadas nos próximos meses, tendo em vista a possibilidade de cancelamentos no calendário festivo do verão da Bahia”.

Desenvolvida pelo Observatório de Economia Criativa da Bahia (OBEC-BA), em parceria com a União dos Municípios da Bahia (UPB) e o portal “São João na Bahia”, a pesquisa realizará entrevistas a gestores e funcionários públicos; profissionais e organizações artísticas, culturais e criativas, com ou sem fins lucrativos; além de entidades de representação do comércio e serviços, e barraqueiros locais. A iniciativa faz parte de um projeto mais amplo do OBEC-BA sobre os impactos da COVID-19 no setor cultural e criativo, que vem sendo realizado desde março deste ano, e tem abrangência nacional.

O OBEC:

O Observatório da Economia Criativa da Bahia (OBEC-BA) é um grupo de pesquisa interinstitucional que reúne docentes e discentes da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), da Universidade Federal da Bahia (UFBA), da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), além de pesquisadores independentes e de outras instituições, públicas e privadas, para a promoção de atividades de ensino, pesquisa e extensão no campo da economia criativa. Os membros atuam em diversas áreas de conhecimento: artes, comunicação, economia, administração, estatística, gestão e produção cultural, entre outras.

Sediado no Instituto de Humanidades, Artes e Ciências da Universidade Federal da Bahia (IHAC/UFBA), o OBEC-BA foi criado em 2014, através de um edital da Secretaria de Economia Criativa, do antigo Ministério da Cultura, como parte de uma rede de núcleos vinculados às universidades federais do Brasil que tinham o objetivo de produzir informações e conhecimento, gerar experiências e experimentações sobre a economia criativa local e estadual.

Mostrar Mais

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: