Saúde

O gerontólogo Alexandre Kalache e a arquiteta Rosiane Sanches falam em live sobre saúde da pessoa idosa, neste domingo (4)

O médico gerontólogo e doutor em epidemiologia pela Universidade de Oxford, Alexandre Kalache, será o convidado da arquiteta e urbanista baiana, Rosiane Sanches, no último dia do ciclo de nove lives sobre “Um olhar consciente para a pessoa idosa”. Neste domingo (4), às 17h07, o gerontólogo falará sobre o tema “Velhice não é doença”. A transmissão da live ocorrerá na página do Instagram da arquiteta baiana, no endereço @rosianesanchesarquiteta.

Kalache é presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil (International Longevity Centre Brasil / ILC-BR) e co-diretor da Age Friendly Foundation. O gerontólogo é fundador da Unidade de Epidemiologia do Envelhecimento da Universidade de Londres, criador do primeiro mestrado em Promoção da Saúde da Europa e dirigiu o Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida da Organização Mundial da Saúde (OMS), quando concebeu e publicou, em 2002, o Marco Político do Envelhecimento Ativo e, em 2005, a iniciativa Cidades Amigas do Idoso – os dois referenciais são conhecidos e aplicados mundialmente.

“É uma honra enorme receber o professor Alexandre Kalache nessa live que encerra esse ciclo de palestras que iniciei em junho, mês em que se enfatiza a prevenção de quedas e o combate à violência contra a pessoa idosa. Alexandre Kalache é um referencial no cuidado com a pessoa idosa e a produção bibliográfica dele sempre me orientou em minha atuação como arquiteta preocupada com a acessibilidade dos idosos”, disse Rosiane Sanches.

Em todo o mundo, mais de mil iniciativas já incorporam a abordagem “amigável ao idoso” às políticas públicas de cidades, comunidades, bairros, hospitais, unidades de atenção primária e universidades. Alexandre Kalache integra conselhos em diversas partes do mundo, atua como consultor em diferentes países e é professor em cinco universidades no exterior.

“Meu propósito com esse ciclo de lives no qual convidei especialistas e profissionais na área da saúde e da arquitetura é proporcionar a compreensão para o cuidado com a pessoa idosa. Promover a acessibilidade nos ambientes é muito importante para a inclusão e preservação da saúde do idoso, observando os mínimos detalhes que representam um diferencial importante na qualidade de vida e saúde deles”, salientou a arquiteta e urbanista.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: