Bahia

Carta aberta ao governador e reinvindicação segurança para profissionais da imprensa.

NOTA À IMPRENSA

Rio de Janeiro, 22 de Junho de 2021.

É papel do jornalista questionar, mostrar os dois lados da notícia e denunciar as mazelas da sociedade, sem ser punido por exercer seu ofício com ética. Como afirma o presidente nacional da Associação Brasileira de imprensa, Pagê: “A democracia pressupõe o direito de crítica e é a obrigação das autoridades a garantia do exercício desse direito. É preciso dar um basta nesse comportamento criminoso, cujo crescimento nos últimos três anos tem sido alarmantes na Bahia, desde 2019.

Por intermédio dessa carta aberta à imprensa e a toda a sociedade civil, motivado pela preocupação com a crescente escalada de violência contra jornalistas em todo o estado da Bahia, jornalista Fabio Costa Pinto, sócio efetivo da Associação Brasileira de Imprensa – ABI, e membro do GT – Imprensa Brasil, pela democracia e dignidade, venho reivindicar soluções junto às autoridades governamentais, representantes da Segurança Pública e do Poder Judiciário para esse grave problema que tem atingido toda a nossa categoria.

Solicitamos a apuração, investigação, justiça e proteção aos jornalistas atingidos por ameaças, agressões, perseguições, assédio moral, assassinatos e crescentes ataques milicianos durante o exercício da profissão em nosso estado. Tais crimes não atingem apenas a vida profissional, mas também pessoal e familiar dos jornalistas. Cria seqüelas físicas e emocionais graves.

Em carta entregue ao Governador do Estado, Dr. Rui Costa e ao Secretário da Segurança Pública, Dr Ricardo Mandarino, neste data, 22 de junho de 2021. Solicitando apuração, investigação e justiça, aos crimes praticados contra os profissionais da Imprensa.

Dos casos denunciados, entre outros, como:

– Repórter Driele Veiga, da TV Aratu,

– Fotógrafa Paula Fróes, do Jornal Correio,

– Repórter Bruno Wendel, do Jornal Correio,

– Jornalista investigativa, especialista em segurança pública, Milmara Nogueira e sua família,

Também, cobramos resposta ao assassinato do produtor da Record, TV Itapoan, José Bonfim Pitangueira,

– Violência contra o radialista e jornalista Davi Alves, da Rádio Alvorada FM, no município de Jeremoabo/BA, em setembro de 2020,

– A elucidação do crime contra o radialista Weverton Rabelo Fróes, “Toninho Locutor” no dia 4 de abril de 2021.

Pedimos a apuração com rigor da morte do jornalista e radialista Geolino Lopes Xavier, de 44 anos, “Gel Lopes”, Teixeira de Freitas, extremo-sul da Bahia, no dia 27 de fevereiro de 2014.

Em exatos 23 anos após o assassinato do jornalista Manoel Leal de Oliveira, ocorrido em 14 de janeiro de 1998, os mandantes do crime continuam impunes. (Existe um pedido de reabertura do inquérito para investigar os mandantes, que está há anos no TJ da Bahia).

– Recentemente, o Site “Bahia Alerta” foi invadido por hackers. Publicitário, dono do site, BAHIA ALERTA COMUNICAÇÕES, ADRIANO ROCHA WIRZ LEITE. Comunicou a polícia. Consta em boletim de ocorrencia na delegacia da 14ª DT Barra-BO-21-01921 no dia 16/06/2021, em Salvador.

Também, alertamos e viemos denunciar sobre a urgência em combater o crescimento acelerado de grupos milicianos em território baiano, com ações de fiscalização das atuações das polícias e corregedorias.

Por fim, reivindicamos ações enérgicas e acompanhamento minucioso sobre as investigações nos episódios de tortura e morte dos jovens Bruno e Yan Barros, tio e sobrinho, respectivamente, entregues a supostos “traficantes” e assassinados no dia 26 de abril, depois de supostamente terem furtado carne, no supermercado Atakarejo, no bairro do Nordeste de Amaralina, em Salvador/BA. Passados os 30 dias para a conclusão do inquérito até o momento não foi concluído Precisa dar uma resposta a sociedade. Não podemos permitir que pobres, negros e desempregados sejam a moeda de troca.

Certo de que estou fazendo o meu papel de defensor e pleno exercício da Constituição.

“venho sofrendo intimidaçoes, na tentativa de me calar, e gerar constrangimento junto ABI, minha casa. Represália e censura? Não iremos desistir”.

Reafirmamos, portanto, o nosso apoio a esta luta, árdua e democrática, nos colocando à disposição para buscar soluções. Assim como acreditamos que unidos podemos encontrar um caminho de segurança, solidariedade, união e justiça para todos os baianos.

Fabio Costa Pinto
Jornalista sócio efetivo da Associação Brasileira de Imprensa – ABI .
Filiado a FENAJ e ao Sinjorba.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: