CidadesSaúde

Hospital Clériston Andrade realiza procedimento inédito pelo SUS em Feira de Santana para pacientes com câncer gástrico precoce

Pacientes com Câncer Gástrico Precoce, ou seja, lesão em estágio inicial, possuem um novo tratamento no combate à doença. O Centro de Hemorragia Digestiva do Interior da Bahia (CHDI) do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) realizou um procedimento inédito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no interior da Bahia. Trata-se de uma Dissecção Endoscópica da Submucosa (ESD). O paciente, uma mulher, idosa, de 88 anos,  com risco cirúrgico aumentado, possuía uma lesão maligna intramucosa (enfermidade restrita a camada mais interna).

De acordo com Dr. Victor Galvão, médico endoscopista, coordenador do CHDI este foi o segundo caso de Dissecção Endoscópica da Submucosa (ESD) em Feira de Santana. O primeiro foi tratado em um hospital particular de Feira de Santana. Pelo SUS é o primeiro caso no interior da Bahia.

“O procedimento foi realizado no Hospital Clériston Andrade, com todos os cuidados necessários. Para este tipo de cirurgia minimamente invasiva, o paciente precisa ser entubado e a anestesia é geral. Com o tubo endoscópico a equipe consegue localizar o câncer gástrico precoce e retirar lesão. Dra. Raquel Lins, médica endoscopista, comandou a equipe e na opinião do médico Victor Galvão ela “brilhou” neste procedimento. “A paciente de 88 anos, obesa, diabética, com risco cirúrgico bastante aumentado e que graças ao empenho de toda a equipe a lesão foi retirada por completo. Ela  já recebeu alta, está muito bem”, comemorou Dr. Victor Galvão, acrescentando que o grande diferencial é que a ablação de toda mucosa e submucosa foi feita objetivando a cura.

Menos invasiva e com recuperação rápida

A técnica de dissecção endoscópica da submucosa, também conhecida como ESD (Endoscopic Submucosal Dissection), foi introduzida e se tornou a técnica de escolha para a remoção de alguns tipos de tumores do esôfago, estômago e intestino, conhecidos como neoplasias precoces, sejam elas benignas ou malignas na superfície. Dissecção Endoscópica da Submucosa (ESD) Cirurgia Endoscópica é uma opção menos invasiva e com menor incidência de eventos adversos. As lesões menores podem ser feita ambulatoriamente e o paciente tem alta no mesmo dia.

Essa técnica cirúrgica minimamente invasiva apresenta, como diferencial em relação à mucosectomia convencional, a possibilidade de ressecar lesões de maiores tamanhos em um fragmento único. Nesta técnica, um pequeno bisturi ou faca é introduzido no aparelho de colonoscopia e pequenos cortes soltam a lesão da parede intestinal normal. Este tipo de procedimento requer maior experiência por ser mais delicado e demorado que a mucosectomia.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: