Política

Ganhadeiras de Itapuã apelam por sede própria na Tribuna Popular

Grupo tradicional de Salvador foi destaque no Carnaval do Rio

O canto de resistência das Ganhadeiras de Itapuã ecoou no Plenário Cosme de Farias, na tarde de segunda-feira (9). Tema do samba-enredo campeão da Viradouro em 2020, a trajetória das “mulheres do sistema de ganho” foi destacada na Tribuna Popular da Câmara Municipal de Salvador. 
Apesar do clima festivo, a diretora de Patrimônio do Grupo de Resgate Ganhadeiras de Itapuã, Verônica Raquel, alertou para a necessidade de a entidade adquirir sede própria. “Precisamos de um espaço permanente para desenvolver nossos trabalhos”, revelou. 

Verônica ainda destacou a importância histórica da manifestação popular. “Todos são descendentes das ganhadeiras. Não somos folclore, somos a cultura de um povo”, afirmou.
Ainda compareceram à Câmara a presidente e a vice da entidade, Maria Hermelinda Paranhos Dias, a “Dona Mariinha”, e Teresa Conceição Santos, respectivamente. 
A trajetória das Ganhadeiras de Itapuã é marcada por premiações, a exemplo do Prêmio da Música Brasileira, por Melhor Álbum e Melhor Grupo Regional.

Valorização

Responsável pela participação do grupo na Tribuna Popular, o vereador Odiosvaldo Vigas (PDT) iniciou seu comentário declamando trecho do samba campeão no Rio: “Levanta, preta, que o sol está na janela”. Em seguida, afirmou que o grupo reflete o caminhar da mulher brasileira. “As Ganhadeiras trazem a grandeza do samba e do sambar para esta Casa histórica”, disse Odioslvaldo, antes de homenagear a entidade com a Medalha de Mérito Cultural.  
A vereadora Aladilce Souza (PCdoB), que presenteou as Ganhadeiras com um calendário – onde as artistas estampam uma das páginas – classificou o grupo como fantástico, representando “as mulheres de Salvador, as brasileiras e a mulher negra”’. 

“Não poderíamos ter representação melhor nesta Casa”, disse a vereadora Marta Rodrigues (PT), em alusão ao Dia Internacional da Mulher (8 de março), comemorado um dia antes. 
Em discurso inflamado e exaltando a condição de “descendente de ganhadeira”, o vereador Edvaldo Brito (PSD) afirmou: “Elas são a própria Bahia homenageada pelo Brasil”.
Já os vereadores Moisés Rocha (PT) e Marcos Mendes (PSOL) lamentaram que o reconhecimento das mulheres que habitam a região da Lagoa do Abaeté tenha vindo de fora do Estado e cobraram incentivo para o grupo. “Infelizmente, só valorizam quando os outros enxergam”, disse Moisés.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: