Religião

Dom Murilo presidiu Missa pelos nove anos de pastoreio na Arquidiocese de Salvador

Emoção e gratidão. Estes são os sentimentos que resumem a Missa em Ação de Graças pelo pastoreio do Arcebispo, e atual Administrador Apostólico, Dom Murilo Krieger. Foram nove anos à frente da Arquidiocese de Salvador e, agora, Dom Murilo será sucedido pelo Cardeal Dom Sergio da Rocha, que tomará posse na Sé Primacial da Igreja no Brasil na próxima sexta-feira, dia 5 de junho, às 19h, em Celebração que será transmitida, ao vivo, pelas redes sociais da Arquidiocese.

“Em primeiro lugar, estou aqui para agradecer a Deus Sua bênção, Suas graças, Sua proteção, a saúde que me deu ao longo de nove anos aqui em Salvador. Em segundo lugar, quero agradecer a cada uma das pessoas, em particular, que participou da minha vida aqui neste pastoreio. Eu digo a cada pessoa, a todas as pessoas de uma maneira geral, mas Deus tem no Seu coração o rosto e o nome de cada uma delas, de cada um de vocês. São tantos! São milhares que me ajudaram de muitas e muitas maneiras. Que Deus os abençoe e os recompense”, disse Dom Murilo logo no início da Celebração.

Em seguida, Dom Murilo recordou a chegada dele à Salvador, em 25 de março de 2011, e falou sobre a chegada de Dom Sergio. “Eu quero, também, rezar pelo meu sucessor que está para chegar. Quando cheguei aqui, uma das coisas marcantes foi o carinho que se manifestou já na acolhida. E como foi bom para eu me sentir logo à vontade! Dom Sergio vem numa situação bem diferente e a gente sabe que quem chega quer logo se encontrar com todos, quer logo abraçar a todos, se relacionar com todos, para conhecer e ser conhecido; e a situação dele vai ser de muita limitação. Que Deus o acolha!”, afirmou.

Ao falar sobre as limitações que serão enfrentadas na chegada de Dom Sergio, Dom Murilo referia-se ao momento atual de isolamento social, ocasionado pela pandemia. Também por este motivo, a Missa em Ação de Graças neste sábado, na Catedral Basílica, aconteceu com a presença mínima de fiéis e de sacerdotes – seguindo os decretos municipal e estadual que estabelecem a quantidade de, no máximo, 50 pessoas dentro dos templos. Contudo, para que todos pudessem sentir-se presentes, a Celebração foi transmitida, ao vivo, através das redes sociais da Arquidiocese de Salvador (Youtube, Facebook e Instagram) e da Rede Excelsior de Comunicação (AM 840 e FM 106,1).

Durante a homilia, Dom Murilo falou às ovelhinhas, como carinhosamente, ele costuma chamar o Povo de Deus da Arquidiocese de Salvador, sobre o que trouxe e o que levará deste pastoreio. “Estou hoje aqui para me despedir. Um momento de despedida como este é uma excelente oportunidade para uma reflexão sobre a própria vida ou, ao menos, sobre uma parte dela. Afinal, resido na Arquidiocese Primaz há pouco mais de nove anos. Aqui vivi as mais diversas experiências: alegres e tristes; dolorosas e felizes; agradáveis e fáceis, ou experiências difíceis, muito difíceis”, disse [Clique aqui e confira a íntegra da homilia].

Ao longo de toda a Celebração, os fiéis puderam deixar mensagens nas redes sociais durante a transmissão em tempo real.  Já na Catedral Basílica, logo após a Comunhão Eucarística, Dom Murilo recebeu mensagens de agradecimento pelo tempo em que pastoreou esta porção eleita do Povo de Deus. “Dom Murilo, obrigada por todo zelo de pastor, que sempre dedicou ao nosso povo baiano, que Deus confiou aos seus cuidados ao longo deste tempo que passou conosco!”, disse Virgínia Moraes representando os leigos.

O padre Anastácio Gilberto leu uma mensagem que representa todo o clero. “Creio que posso dizer o que disse o profeta Isaías: ‘Como são formosos, sobre os montes, os pés do mensageiro que anuncia a paz, que anuncia coisas boas e proclama a salvação’ (Is 52, 7). De fato, seus pés não se aquietaram em um lugar, mas viveram a alegria de percorrer vários lugares para anunciar o Evangelho de Jesus Cristo. Não apenas seus pés, mas o seu coração foi total entrega como o Senhor mesmo diz: ‘o meu coração sempre esteve onde estivam os meus pés’. O seu desafio de vir para Salvador, realidade tão diferente do Sul do Brasil, foi acolhido com o coração. Tão disposto veio que nos pediu licença para entrar, e podemos dizer que não só entrou, mas aos poucos foi conquistando o coração do povo baiano”, disse o sacerdote.

“Dom Murilo, queremos agradecer por seu empenho, carinho e testemunho durante estes nove anos como pastor. Como o senhor mesmo colocou nos seus escritos, um catarinense lidando com a cultura baiana: e fez muito bem! A inculturação é sempre um desafio grande. Estes dias para todos nós, durante a quarentena que parecem não ter fim, certamente têm sido tempo de rememorar, rever, avaliar a caminhada neste pedaço de chão onde Deus te colocou. Me fez pensar no seu brasão episcopal, Deus é amor. O senhor nos deu este exemplo de coragem e de testemunho. O senhor tem servido o Reino em tantos lugares, com tantas pessoas; e nós, Vida Consagrada, queremos oferecer a nossa comunhão contigo, as nossas preces de gratidão. Que o senhor continue dando o seu testemunho fecundo nos próximos contornos da sua vida, onde Deus vai te levar”, disse a Irmã Meire, representando a Vida Consagrada do Regional Nordeste 3 (Bahia e Sergipe).

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: