Política

Comissão de Educação da ALBA debate planejamento das atividades

Os integrantes da Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviços Públicos definiram, em sua primeira reunião remota ordinária, na manhã desta terça-feira (16), o planejamento de suas atividades, objetivando atender às demandas dos atores sociais que o colegiado representa, nesse momento de dificuldades e impactos da pandemia da Covid-19. Para tanto, ficou acertado que os deputados devem encaminhar as indicações de audiência pública com temáticas que possam ter impacto a curto prazo e dialoguem com a emergência sanitária.

Proposta pela presidente, deputada Fabíola Mansur (PSB), a próxima reunião, agendada para o dia 23 de março, discutirá, com a participação de equipe da Secretaria da Educação do Estado (SEC) e comunidade escolar, a apresentação do protocolo de retorno remoto às aulas do ensino público, assim como os desafios para promover o acesso de alunos às ferramentas digitais, capacitação dos professores, infraestrutura de banda larga, entre outros temas correlatos.

“Não temos dúvida que a dívida no aprendizado é profunda”, reconhece Fabíola, reiterando o papel da comissão para colaborar com o esforço do Governo do Estado nesse momento. Ela elencou ainda outros temas que alcançam a responsabilidade da comissão durante a pandemia, como a dificuldade do segmento cultural, a valorização da ciência e tecnologia, com a defesa inconteste da vacina e de medidas de restrição e proteção.
Durante a reunião virtual, feita através da plataforma Zoom, tanto a presidente, quanto os deputados petistas Bira Corôa e Robinson Almeida citaram o anúncio do crédito de R$ 55 do vale-alimentação estudantil, feito pelo governador Rui Costa e pelo secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, durante a aula inaugural da rede estadual, na segunda-feira (15). Serão destinados mais R$ 44 milhões do vale-alimentação, além do investimento nas bolsas de R$ 100 para 52 mil estudantes monitores do programa Mais Estudo – lembrou os parlamentares.

Bira Corôa chamou a atenção para o prejuízo dos alunos da rede pública no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020, refletido, segundo ele, no elevado número de abstenção, que foi superior a 50%. Na mesma linha, a deputada Olívia Santana (PC do B) definiu o atraso de um ano letivo como “um custo dramático na vida educacional de milhares de crianças e adolescentes, que vai repercutir durante muito tempo”. Ela defendeu investimento imediato do Estado na Educação, e propôs articulação das secretarias estaduais de Educação e de Ciência e Tecnologia.

Robinson Almeida, por sua vez, solicitou que a comissão evitasse decisões de médio e longo prazos, diante do cenário de incerteza imposto pela pandemia: “Infelizmente, quem está ditando o ritmo da vida no Brasil e no mundo é o coronavírus”, vaticinou. Hilton Coelho (Psol) solicitou à presidente Fabíola Mansur que priorizasse uma discussão sobre as consequências da PEC 186/2019 (Auxílio Emergencial) e a recente PEC 32/2020 (Reforma Administrativa), “um pleito nacional da categoria de servidores”, afirmou o socialista.

Na reunião, que contou ainda com a participação do deputado Osni Cardoso (PT), os integrantes do colegiado também foram unânimes na defesa de incluir, entre os profissionais com prioridade na vacinação, os trabalhadores da educação.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: