Eleições 2020

Raio-X: Vitória da Conquista tem mais de 230 mil eleitores aptos a votar este ano; quase 10 mil são analfabetos

Terceiro maior município da Bahia, Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, tem 231.176 eleitores aptos a votar nas eleições deste ano. O número é pouco diferente do último pleito municipal, em 2016, quando 230.598 domiciliados na cidade puderam exercer o voto. Os dados foram levantados pelo  Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Do total de eleitores aptos a votar neste ano em Vitória da Conquista, 230.159 (99,56%) realizaram o cadastro biométrico, frente a 1.017 (0,44%) não biometrizados. Quatro anos atrás, os números foram, respectivamente, 27.953 (12,12%) e 202.645 (87,88%).

Escolaridade

Segundo os registros oficiais, 9.315 eleitores de Vitória da Conquista são analfabetos (4,03%), enquanto 27.563 (11,92%) apenas leem e escrevem, mas sequer completaram o ensino fundamental. Em Salvador e Feira de Santana, as duas maiores cidades do estado, os analfabetos representam 0,67% e 2,50% e os que leem e escrevem 3,33% e 7,04%, respectivamente.

Comparado à última eleição municipal, no entanto, houve uma queda nos índices. Em 2016, 7,92% do eleitorado de Vitória da Conquista era analfabeto, enquanto “lê e escreve” representava 19,54% dos eleitores da cidade.

Este ano, pessoas com o ensino médio completo são a maior parcela: 26,16%, seguidas por fundamental incompleto (24,12%) e médio incompleto (12,51%). Eleitores com ensino superior completo são 10,83%; superior incompleto, 5,66% e fundamental completo, 4,75%. 

Gênero

Assim como em Feira e na capital baiana, as mulheres são maioria no eleitorado de Vitória da Conquista. De acordo com os dados do TSE, 124.898 eleitoras estão aptas a votar na cidade (54,03%), enquanto os homens são 106.278 (45,97%).

Em relação a 2016, houve um pequeno aumento na diferença. Naquele ano, as mulheres representavam 53,94% do total aptos a votar no município. Já os homens, 46%, enquanto 0,06% não informaram o gênero.

Estado civil

Os registros do Tribunal Superior Eleitoral indicam que o número de casamentos em Conquista cresceu nos últimos quatro anos. Na última eleição municipal, mostram os números, os casados representavam 26,48% do eleitorado da cidade. Em 2020, a proporção subiu para 37,57%.

Apesar da queda, os solteiros ainda são maioria entre os eleitores do município do sudoeste baiano: 53,99%, ante 70,06% de quatro anos atrás. Divorciados (4,61%), viúvos (3,12%) e separados judicialmente (0,71%) completam a lista.

Idade

Pessoas de 35 a 39 anos de idade compõem a parcela de faixa etária mais significativa do eleitorado de Vitória da Conquista neste ano, com 12,03%.

Eleitores entre 30 e 34 anos formavam a fatia mais expressiva (12,25%) no município em 2016, e agora ficam em segundo na lista, seguidos por 40 a 44 (11,05%), 25 a 29 (10,80%), 45 a 49 (9,22%), 21 a 24 (8,81%), 50 a 54 (8,41%), 55 a 59 (7,24%), 60 a 64 (5,85%), 65 a 69 (4,49%), 18 a 20 (4,19%), 70 a 74 (3,05%), 75 a 79 (1,73%) e 80 a 84 (0,94%).

Apenas 909 eleitores com idade em que o voto é facultativo (16 e 17 anos) estão aptos a participar desta eleição em Conquista, o que representa 0,39% do eleitorado da cidade. No último pleito municipal, o número foi de 2.305 (1%).

Na outra ponta da lista, entre os centenários – aqueles com cem anos ou mais -, também houve queda. Neste ano, somente seis pessoas com esse perfil poderão votar no município, frente 87 (0,04%) em 2016.

Inclusão

A participação de pessoas com deficiência física na eleição municipal em Vitória da Conquista dobrou em relação ao último pleito. De 523, quatro anos atrás, o número de eleitores PCD (pessoa com deficiência) subiu para 1.074 neste ano.

Desse total, 207 (36,32%) possui problemas de locomoção, enquanto 103 (18,07%) são deficientes visuais, 21 (3,68%) auditivos e 10 (1,75%) possuem “dificuldade para o exercício do voto”. Outros, somam 229 (40,18%).

Uma das novidades dessa eleição em relação ao pleito para prefeito e vereadores de 2016 é a inclusão do nome social – aquele pelo qual pessoas transexuais, travestis e outros preferem ser chamadas. Dezesseis eleitores com esse perfil poderão exercer o voto em Vitória da Conquista neste ano, mostram os dados do Tribunal Superior Eleitoral.

O direito é resguardado pelo Decreto nº 8.727 de abril de 2016, sobre reconhecimento de identidade de gênero “no âmbito da administração pública federal direta, autárquica e fundacional”, e regulamentado por portaria do TSE publicada em 2018.

Fonte:BNews

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: