Sem categoria

Lídice destaca atuação do PSB ao garantir mesmo tempo de contribuição para homens e mulheres na aposentadoria por idade

Na madrugada desta sexta-feira (12/7), foi aprovado por 445 votos a 15, destaque apresentado pelo PSB à proposta de reforma da Previdência, garantindo a redução no tempo de contribuição exigido para o homem na transição para a aposentadoria por idade no Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Com a aprovação de destaque do PSB a exigência de tempo de contribuição para os homens, na regra de transição de aposentadoria por idade, diminuiu de 20 anos para 15 anos. Os requisitos de idade permanecem os mesmos: 65 anos para homem e 60 anos para mulher, que passará gradativamente a 62 anos a partir de 2020. A mulher terá de contribuir por um tempo mínimo de 15 anos.

Pelo texto original da proposta, encaminhado pelo governo federal ao Congresso, havia a previsão de aumento do tempo mínimo de contribuição de homens e mulheres para 20 anos. Já o texto-base da reforma, aprovado na forma do substitutivo do relator deputado Samuel Moreira, estabeleceu a exigência de 15 anos para mulheres e 20 anos para homens. Com a aprovação do destaque apresentado pelo PSB, homens e mulheres terão o mesmo benefício.

A deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) destacou o esforço da bancada socialista que conseguiu aprovar o destaque e dar continuidade à resistência de oposição ao projeto do governo federal: “O PSB conseguiu algumas conquistas ao aprovar destaques e tentar diminuir um pouco o impacto negativo que a reforma tem sobre trabalhadoras e trabalhadores brasileiros”, declarou.

Para o líder socialista na Câmara, deputado Tadeu Alencar (PE), “a aprovação desse destaque do PSB, que reduz o tempo mínimo de contribuição de 20 para 15 anos, corrige uma das maiores crueldades da PEC da Previdência que, se aprovada, impediria m   ilhares de brasileiros de se aposentarem. Além do mais, é símbolo destacado das preocupações do partido com os mais pobres, que é onde devemos sempre ter os olhos”, afirmou.

O deputado Aliel Machado (PSB-PR), ao defender o destaque, afirmou que o novo texto faz justiça. “A proposta do governo não só aumentava o tempo para 20 anos, como aplicava o fator de redução do salário de 85% para 60%. Isso, na prática, colocado em números reais, nos mostra que mais da metade dos homens do Regime Geral da Previdência Social (RGPS) não conseguiria se aposentar”, afirmou.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: