Política

Hilton se solidariza com professora do Colégio Estadual Thales de Azevedo

O deputado Hilton Coelho (Psol) apresentou moção de apoio e solidariedade à professora do Colégio Estadual Thales de Azevedo e à gestão da unidade de ensino, por resistirem à criminalização da docência.
 
A docente foi acusada por familiares de alunos da instituição de ensinar pautas de cunho “esquerdista” e com linguagens de “doutrinação feminista”. A partir da queixa-crime, foi intimada em delegacia para prestar esclarecimento por “ferir a liberdade de cátedra e a autonomia pedagógica, princípios constitucionais fundamentais”.
 
“Trata-se de evidente expressão da ideologia bolsonarista, que tantos prejuízos têm criado ao convívio social e permitido o desastre que foi o combate à pandemia do Coronavírus no país, contribuindo para as mais de 610 mil mortes”, disse o deputado.
 
A gestão escolar se pronunciou sobre o caso e reafirmou que a intimação é uma forma de censura ao exercício laboral da docente, afronta todo o corpo docente e a própria gestão, por interferir na autonomia da unidade de ensino. O corpo diretivo do colégio se manifestou na defesa da democracia e solicitou o apoio de todas as entidades e movimentos sociais que militam na defesa da educação pública.
 
“Esperamos que a Polícia Civil e a Secretaria de Segurança Pública iniciem processo administrativo disciplinar em face da delegada responsável pela investigação, a fim de que seja punida exemplarmente pela conduta ilegal, persecutória e absolutamente não condizente com a Constituição Federal e a jurisprudência do STF”, disse.
 
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: