Política

Lidice volta contra fundo eleitoral e defende Reforma Politica

De acordo com a Deputada federal, modelo de financiamento de campanha no país não tem como não levar ao fundo eleitoral

A deputada federal Lídice da Matta (PSB) disse em entrevista ao programa Política na Mesa, da TV Câmara, que votou contra o texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022, que amplia o fundo eleitoral para R$ 5,7 bilhões, quase o triplo do praticado nas eleições municipais de 2020.

“Nós votamos contra a LDO como um todo. Além disso, tinham outras questões inaceitáveis na LDO, que permanecem, que é o caso de concentração de poder de recursos não mão do relator do orçamento. Nós não podemos continuar permitindo isso”, afirmou.

“Ele cria novos mecanismos que fortalecem o parlamento, mas no momento que é usado no exagero, acaba enfraquecendo o parlamento, permitindo que o benefício de uns, com o fim da equidade dos deputados, se transformem em elemento de captação do governo”, completou.

A parlamentar baiana disse ainda que é necessário “discutir uma reforma política no Brasil”.

“O Supremo Tribunal Eleitoral definiu que ter financiamento de campanha empresarial é crime, o que historicamente existia no país. Portanto, levou a uma situação na qual o financiamento só pode ser público, com o fundo eleitoral, ou privado, no que diz a respeito ao CPF, com indivíduos financiando a campanha. Além do que, você candidato, que pode usar 10% do que é declarado no imposto de renda”, pontuou.

“O financiamento público de campanha, no modelo que temos no Brasil, não tem como não levar ao fundo eleitoral”, finalizou.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: