Colunistas

21 de Janeiro – combate a intolerância religiosa no Brasil – HÁ QUE SE TOLERAR.

É difícil aceitar aquilo que não nos convém, de modo que seria tudo mais fácil se aquilo que cada um de nós deseja fosse imediatamente satisfeito, assim o mundo estaria em acordo com o nosso próprio entendimento, não haveria conflito e a vida transcorreria em perfeita harmonia… Felizmente a satisfação dos desejos não está sempre em acordo com a conduta, é preciso muitas vezes e na maior parte delas saber que o não atendimento aos desejos está diretamente relacionada as melhores escolhas. Vivemos tempos difíceis, fato, atravessamos um período em que a Pandemia do novo Coronavirus está abruptamente mudando todos os nossos costumes, desde o cotidiano até as grandes celebrações com data marcada nos calendários dos diversos povos.

Precisamos ser tolerantes, não é possível viver sem os devidos cuidados, que foram denominados de protocolos, o mais básico: estar em casa a maior parte do tempo possível, lavar sempre as mãos, usar máscara sempre que sair de casa, manter-se distante de uma pessoa cerca de 2m, não fazer aglomeração, usar álcool 70, gel ou liquido (spray)… Sim, tem sido difícil, muito mesmo, pra alguns até impossível, seja por sua condição social e de moradia seja por sua falta de tolerância… É preciso ser tolerante. Não se trata de respeito, pois pode-se perder o respeito, se faltar com respeito, mas tolerar hoje em dia se tornou uma opção clara entre viver ou morrer. Esta talvez seja uma perspectiva para este dia 21 de janeiro de 2021, em que se celebra o dia de combate a intolerância religiosa no Brasil. Tolerar a religião alheia pode significar a sua sobrevivência e a do outro, devemos coexistir pacificamente.

Não é necessário saber como o outro se relaciona com o sagrado, basta ser tolerante, ela evita a violência, evita o conflito, evita a dor, o sofrimento, e valoriza o seu lugar de RELIGARE, sua fé, com Deus, ou com o Divino, seja lá que nome você dê a ele, ou ela. Não importa, pois o que importa mesmo é a satisfação dos seus desejos espirituais, sua fé, sagrada, que só você  sabe como a sustenta, mantém e conhece, ela é sua, própria de sua confissão, seja pertencendo a um grande grupo ou a um grupo pequeno, mas sua e não do outro, conserve-a, preserve-a e deixe a fé alheia em paz, dê a ela um protocolo, distanciamento social, não agressão verbal, não caluniar ou difamar, não ocupar seus espaços sem a devida autorização.

Talvez assim seja possível garantir algumas lições com esta Pandemia para os tempos que com fé virão em que ela será superada e o contato físico, presencial, social, pessoas, gente, diretamente, falando umas com as outras voltar a acontecer. Lembre-se do protocolo e deixe o diálogo vencer o preconceito. Viva sua fé sem agredir a fé alheia, viva a tolerância religiosa!

Por:  Fabricio Torres 

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: