Sem categoria

Obra do Centro de Convenções de Salvador já está 32% concluída

Terceira maior estrutura municipal do tipo no país, a obra do Centro de Convenções de Salvador segue em ritmo acelerado e já está 32% concluída. As instalações, no formato de uma pomba, símbolo da bandeira de Salvador, já chamam atenção de quem passa pela Orla da capital, na Boca do Rio. São 37 mil m² de terreno construído em uma área de pouco mais de 103 mil m².

O centro terá capacidade para receber 14 mil pessoas simultaneamente em congressos e convenções. Pelo menos três grandes eventos já estão agendados para acontecer no espaço, a partir do ano que vem. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) publicará o edital de concessão e exploração do Centro de Convenções de Salvador nos próximos dias.

“Hoje a cidade já vive um pouco esse impacto. A obra já ganha uma dimensão, uma proporção e chama atenção de quem passa aqui pela região. Muitas pessoas não conhecem efetivamente a obra, o que já foi produzido, quais os próximos passos, o estágio em que estamos, mas posso dizer que seguimos bem adiantados”, considerou o secretário da Secult, Cláudio Tinoco. As intervenções entram no 7º mês de um total previsto de 12 meses. “Durante seis meses, entre outubro e março, tivemos essa evolução, cumprindo o prazo contratual”, pontuou Tinoco.

Segundo o CCS, consórcio responsável pelas obras e formado pelas empresas Andrade Mendonça e Axxo, o sistema construtivo do equipamento é similar ao utilizado na implantação do Hospital Municipal de Salvador (HMS), cuja entrega foi antecipada em três meses. O consórcio trabalha com estruturas pré-moldadas, em conjunto com outras metálicas e lajes, o que acelera a execução.

“É claro que a obra agora ganha mais notoriedade, já que uma boa parte de alvenaria já foi realizada. A obra está com todas suas fases previstas, avançando dentro do cronograma. Nesse momento, diria que estamos partindo para parte de fechamento, cobertura, incluindo acabamento interno, externo e fachada”, explicou Tinoco. O novo empreendimento vai reposicionar a capital baiana entre os mais atrativos polos de turismo de eventos do Brasil. O secretário reforça que o Centro de Convenções será muito importante para a economia e turismo da Bahia.

Agenda de congressos – Pelo menos três grandes eventos já foram agendados para o novo Centro de Convenções de Salvador. “Já temos o Congresso Nacional de Hotéis (Conotel), em maio de 2020, com estimativa de quatro mil participantes. Em 2021 teremos o Congresso Brasileiro de Mastologia. E em 2024 sediaremos o 7º Congresso Mundial de Trauma”, afirmou Tinoco. Ainda segundo ele, a estrutura de ponta, além de ter a qualidade necessária para a recepção de grandes eventos, será um equipamento autossustentável.

“Nos próximos 25 anos, Salvador terá a estrutura para voltar a sediar os eventos não só da área médica, mas também outros, como feiras nacionais e internacionais e até mesmo encontro de chefes de Estado. Não tenho dúvida que o Centro de Convenções será a oportunidade da capital baiana voltar para cenário internacional, com capacidade e estrutura para receber eventos mundiais”, assinalou.

Shows e auditórios – No Centro de Convenções haverá dois locais para shows, cada um com capacidade para 20 mil pessoas, um externo ao equipamento e outro interno, com 28 camarotes de 50 metros quadrados, que serão moduláveis e irão atender aos dois espaços multiusos, tanto o de fora do centro quanto o de dentro. Esses camarotes poderão se transformar em salas de reunião quando não houver shows.

O espaço contará ainda com oito auditórios moduláveis de 800 metros quadrados cada. Terá também seis salões de 522 metros quadrados cada, 12 salas de 236 metros quadrados e 28 de reuniões que irão virar camarotes tanto para os shows externos quanto internos. O estacionamento será para mais de 1,4 mil veículos. O equipamento terá três pavimentos e será 100% climatizado e com acessibilidade.

Edital – A partir do lançamento do edital de concessão para selecionar a empresa que vai gerir o equipamento, haverá um prazo de 30 a 45 dias para recebimento das propostas. Será declarada vencedora da licitação a empresa que ofertar a maior outorga fixa, sendo um mínimo de R$ 10 milhões, que deverá ser paga em duas parcelas iguais – uma na assinatura do contrato e outra em 180 após isso.

Adicionalmente, a concessionária pagará à Prefeitura uma outorga variável de 5% sobre o faturamento bruto a partir do sexto ano. No total, o investimento da iniciativa privada somará cerca de R$25 milhões, incluindo aquisição de equipamentos, mobiliário e instalações. “O edital que vai oferecer a mercado a possibilidade de atrair empresas, individualmente ou em consórcio, para que possamos garantir um investimento privado para complementar as instalações”, finalizou Tinoco.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: