Política

Em reunião, Coronel discute com Leão nome do filho para eleição na AL-BA; senador nega

Em meio às articulações para definir os candidatos à presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), um nome surgiu como possibilidade na disputa: o do deputado estadual Diego Coronel (PSD).

 

O nome foi ventilado no último domingo (10) numa reunião entre o senador Angelo Coronel (PSD), pai de Diego, e o vice-governador João Leão, presidente estadual do PP. 

 

A candidatura de Diego Coronel , contudo, não foi uma prioridade no encontro. Segundo uma fonte do PP consultada pelo Bahia Notícias, a alternativa foi sugerida pelo senador, mas não foi feita uma articulação mais precisa neste sentido. No momento, Leão avalia esta e outras possibilidades. Atualmente, o candidato do PP é Niltinho.

 

AVALIAÇÕES INTERNAS
Dentro do PP, a chance de viabilizar o lançamento de Diego Coronel existe, uma vez que o nome de Adolfo Menezes (PSD) sofre resistências dentro do partido. Caso haja consenso para que o PP apoiasse um nome do PSD, haveria menos objeção entre os parlamentares da legenda.

 

Ao Bahia Notícias, Angelo Coronel negou que tenha sugerido o nome de Diego para a disputa. Contudo, ele afirmou que o filho vem sido cortejado por colegas na AL-BA. “Vários parlamentares têm ligado suscitando que Diego seria um nome que poderia unir a base, pacificar a base, mas isso é um processo que eu sempre digo: todos os 63 parlamentares têm condições de presidir a Casa. E são eles que vão decidir quem será o próximo presidente. A candidatura de Diego não está no radar. Não há necessidade de se procurar cizânia neste momento. Lá não se discutiu nomes, se discutiu a unidade”, declarou.

 

O imbróglio entre PP e PSD tem como origem um acordo celebrado pelo petista com as duas siglas, em dezembro de 2018. Para evitar um bate-chapa envolvendo as legendas, o governador Rui Costa (PT) foi avalista do seguinte trato: Nelson Leal assumir a presidência da Casa pelo PP no biênio 2019-2020; Adolfo Menezes seria o substituto no cargo, pelo PSD, entre 2021 e 2022. O problema começou quando Leal passou a articular a reeleição dele, em descumprimento ao acordo, o que gerou reclamações do PSD.

 

Sem conseguir levar à frente a reeleição de Leal, o PP não largou o osso e lançou a candidatura de Niltinho para concorrer ao cargo. Com receio de um racha devido ao confronto, Rui entrou em campo para conseguir um nome de consenso entre as siglas, que receberia o apoio de toda a base aliada.

Fonte:bahia noticias

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: