Turismo: na baiana Taipu de Fora, piscina natural é convite para mergulho

Basta colocar uma máscara e um snorkel para observar os peixes

É difícil escolher uma única praia quando a bússola se volta para a Bahia. Com a maior extensão litorânea do Brasil, o estado esbanja diversidade por toda a sua costa. Da mata atlântica de Itacaré, ao sul, às dunas de Mangue Seco, ao norte, a lista é generosa.

Uma das mais belas, e nem tanto explorada, atende pelo nome de Taipu de Fora, localizada numa península, a de Maraú, dona de 50 km de litoral, na chamada Costa do Dendê.

O destaque aqui justifica-se pelo fenômeno que ocorre durante a maré baixa, quando afloram os recifes de corais e surgem piscinas naturais.

Nem é preciso saber mergulhar para aproveitá-las. Basta colocar uma máscara e um snorkel para observar os peixes, que passeiam por um verdadeiro aquário natural de águas transparentes.

Em dias de verão, o mar de Taipu de Fora é de um verde-claro intenso, daqueles que permitem enxergar o fundo. Com aproximadamente 2,5 km de extensão, a faixa de areia dourada é sombreada por um extenso jardim de coqueiros, área perfeita para quem se gosta de caminhadas e pedaladas à beira-mar.

Aos sedentários, um consolo: simplesmente sentar em um dos bares em frente à orla, relaxar e apreciar a paisagem.

A vila de Taipu fica a cerca de 20 minutos de jardineira de Barra Grande, a “capital” da península de Maraú, onde fica a maior concentração de pousadas, restaurantes, lojas, bares e, por que não, um tico de vida noturna.

O jeito mais fácil de chegar até a península é pegar um avião para Ilhéus (a pouco mais de 300 km de Salvador). De lá, segue-se de carro.

Tente organizar sua viagem a esse pedaço ensolarado do sul baiano durante a lua cheia ou a nova, que influenciam na tábua das marés e tornam as piscinas naturais de Taipu de Fora ainda mais fascinantes.

Com informações da Folhapress. 

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: