Cerveja de maracujá da Caatinga é lançada na Feira Baiana de Agricultura Familiar

A agricultura familiar da Bahia segue inovando. Após o sucesso da cerveja de umbu e de licuri, mais uma fruta nativa do semiárido baiano, o maracujá da Caatinga, é o ingrediente de destaque da bebida queridinha dos brasileiros, a cerveja. A Maratinga Passion Fruit Beer, cerveja artesanal de maracujá da Caatinga, da Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), está sendo lançada na 10ª Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidária, que começou neste sábado (23), no Parque de Exposições de Salvador, durante a Fenagro. O evento segue até o dia 1º de dezembro.
 
A cerveja artesanal Maratinga tem base clara, coloração levemente dourada, com colarinho branco, aroma e sabores ácidos do maracujá. Possui um amargor moderado do lúpulo com baixo teor alcoólico, sabor intenso e exclusivo do maracujá da Caatinga, cuidadosamente cultivado por agricultores familiares do sertão baiano. O nome Maratinga vem do Tupi Guarani (Mara-alimento e Tinga-branco), significando Alimento Branco. Os frutos utilizados são orgânicos, cultivados por agricultores familiares de Canudos, Uauá e Curaçá.
 
A receita é do jovem cervejeiro da comunidade tradicional Serra da Besta, município de Uauá, Emanuel Messias Almeida, que destaca que a cooperativa pensou em valorizar e potencializar mais uma fruta da Caatinga e da região. “A inspiração e paixão pelos sabores da Caatinga é o que nos movimenta. Inovamos e ousamos, trazendo um fruto da Caatinga para uma bebida muito bem consumida. Queremos além de fazer uma boa cerveja, propagar e disseminar a importância do único bioma genuinamente brasileiro, da preservação da valorização e disseminação da Caatinga do sertão nordestino brasileiro”. 
 
Espaços da feira
 
As cervejas artesanais de maracujá da Caatinga e de umbu produzidas pela Coopercuc podem ser degustadas nos quiosques da Praça Gastronômica Vila Forró. No local, também são comercializados  chopp de licuri, de umbu e de mel de cacau, além frozen das cachaças Abaíra e Paramirim.   
 
Na Praça, o público ainda pode apreciar a culinária trabalhada pela agricultura familiar de diversas regiões da Bahia, como as ostras do Recôncavo, a galinha caipira do Portal do Sertão, a moqueca de tucunaré da Chapada Diamantina e a Tapioca Gourmet do Sudoeste Baiano.
 
Completando as atrações gastronômicas, a feira traz as Ilhas do Bode e do Pescado. Na Ilha do Bode, o público se delicia com pratos como bode assado, hambúrguer de cordeiro, cortes especiais de cordeiros e cabritos como carré francês, filé mignon, costeleta, linguiças caprinas e ovinas tradicionais, apimentadas e para churrasco. Na Ilha do Pescado, catados de siri, aratu, sururu, chumbinho, linguiça defumada de peixe, filé, espetinho e caldo de peixe compõem alguns dos pratos que estão sendo comercializados.  
 
Já no Armazém Sertão do São Francisco, localizado no espaço cenográfico de comercialização, os visitantes podem adquirir outros produtos da cooperativa do Sertão baiano à base de umbu e maracujá da Caatinga como nego bom, doces de corte, geleias, compotas, sucos, picolés e muito mais.
 
A 10ª Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidária é promovida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com a União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes/BA).
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Close
%d blogueiros gostam disto: